Argentina e Uruguai sentem efeitos do terremoto chileno

O terremoto no Chile foi sentido no lado argentino da fronteira, especialmente nas províncias de Mendoza e de San Juan. Ambas províncias foram o cenário de fortes terremotos no passado. Em San Juan, o governador José Luis Giojia, pediu calma à população. O terremoto foi sentido com intensidade na cidade de San Juan, mas não houve danos materiais.

ARIEL PALACIOS, Agencia Estado

27 de fevereiro de 2010 | 11h08

Os efeitos do tremor foram sentidos levemente pelos residentes dos edifícios mais altos do bairro de Palermo em Buenos Aires.

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, conversou com a presidente do Chile, Michelle Bachelet, com a qual havia estado reunida na véspera, e ofereceu total respaldo para que o Chile enfrente os efeitos da catástrofe.

Do outro lado do Rio da Prata, em Montevidéu, no Uruguai, pessoas que estavam nos prédios mais elevados do bairro de Carrasco também sentiram o leve efeito do terremoto chileno.

Tudo o que sabemos sobre:
terremotoChile

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.