Argentina eleva gastos com programas sociais

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, anunciou planos de elevar gastos com programas sociais em 16,8 bilhões de pesos (US$ 3,2 bilhões), numa tentativa de reativar a economia antes das eleições de outubro.

Agência Estado

23 de maio de 2013 | 11h44

O governo vai aumentar os investimentos anuais em programas sociais para 41 bilhões de pesos argentinos, principalmente por meio de pagamentos maiores e benefícios fiscais para mulheres grávidas e famílias com filhos.

Em discurso feito na noite de quarta-feira à noite, Cristina disse que os incentivos adicionais têm o objetivo de possibilitar às famílias gastar mais com alimentos e outros bens de primeira necessidade, mas sem estimular a demanda demasiadamente, para que os preços continuem sob controle.

Numa atitude heterodoxa, a presidente disse também que o governo vai usar ativistas políticos em todo o país para monitorar os preços e garantir que as empresas não os elevem.

Em outubro, a Argentina realiza eleições para renovar o Congresso. A votação é considerada crucial para o futuro do governo e o movimento político criado por Cristina nos últimos anos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Argentinagastoselevaçãoeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.