Argentina: ex-governador militar das Malvinas é preso

O militar argentino Mario Benjamín Menéndez, que governou as Ilhas Malvinas (Falkland) durante a guerra entre a Argentina e o Reino Unido pelo controle do arquipélago, em 1982, foi detido sob a acusação de ter violado os direitos humanos nos anos 1970.

AE, Agência Estado

18 de outubro de 2012 | 17h53

O ex-general de 82 anos foi preso na quarta-feira por sua suposta responsabilidade nos crimes ocorridos na cidade de Famaillá, na província de Tucumã, em 1975. O município abrigou o primeiro centro clandestino de detenção, conhecido como "La Escuelita", comandado justamente por Menéndez, segundo o Ministério Público da Argentina. Ele foi encontrado em sua casa, em Buenos Aires, e será levado à Penitenciária Federal de Tucumã, que fica a 1300 quilômetros da capital argentina.

Em 1982, penúltimo ano da ditadura militar na Argentina, Menéndez era o governador das Ilhas Malvinas (Falkland). Ele chegou a Port Stanley, capital das Ilhas, em 7 de abril do mesmo ano para assumir o cargo. Dias antes, em 2 de abril, as Forças Armadas da Argentina invadiram o arquipélago, o que desencadeou o confronto com o Reino Unido. A Argentina saiu derrotada.

Junto com o ex-general, foram detidos em distintos pontos do país quase vinte acusados, alguns dos quais começaram a prestar esclarecimentos durante o processo judicial "Operação Independência". A ação investiga a morte de dissidentes de esquerda em Tucumã, em 1975, ano anterior ao golpe militar de 1976. A repressão foi praticada com o consentimento do governo civil do distrito.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.