Argentina nega novos cortes de salário

O porta-voz da Presidência da Argentina, Juan Pablo Baylac, disse que "não será necessário realizar novos cortes nos salários e aposentarias" para cumprir a lei do déficit zero. A afirmação de Baylac se deve ao temor do funcionalismo e dos aposentados, de que seus salários sofram reduções maiores que os 13% já aplicados, em virtude do péssimo desempenho da arrecadação fiscal. O ministério de Economia anunciará os dados da arrecadação ainda hoje.

Agencia Estado,

01 Outubro 2001 | 13h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.