Argentina promove ações para melhorar imagem

No momento em que a imagem do Brasil sofre abalos por causa da polêmica envolvendo o correspondente de The New York Times, Larry Rohter, a Argentina promove ações para melhorar a sua imagem no exterior. Entre as iniciativas nesse campo, estão dois seminários relacionados ao tema que serão realizados nos próximos 15 dias e um plano chamado Marca País, que o governo lançará internacionalmente no segundo semestre desse ano. O primeiro seminário, intitulado ?A Imagem da Argentina no Exterior?, apresentará o novo índice do país, elaborado pela International Media Consulting Group S.A., e que medirá a imagem da Argentina, ao longo do tempo, nos principais jornais do mundo. O segundo discutirá a ?situação atual da comunicação política na Argentina?. Ambos são promovidos pela iniciativa privada, mas o segundo contará com a participação do principal porta-voz do Executivo, o ministro-chefe de Gabinete Alberto Fernández, considerado a ?cara? do governo. A preocupação do presidente argentino Néstor Kirchner em mudar a imagem de seu governo no exterior e no país não é nova e faz parte do seu discurso de candidato. Porém, a inquietude por criar uma estratégia de comunicação eficiente é recente. O governo Kirchner é criticado principalmente por causa do famoso "estilo K" , que provoca medo de represálias entre jornalistas na hora em que o governo seleciona a quem dar ou não informação, como apontou a revista Imagen, especializada no assunto. Tal preocupação deve-se também às conseqüências da crise energética e das contas de luz e gás mais caras, com as conseqüências prováveis de desemprego e pressão inflacionária.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.