Argentina sancionará petrolíferas nas Malvinas

O chanceler Héctor Timerman anunciou ontem que o governo de Cristina Kirchner moverá ações legais contra empresas petrolíferas que - segundo o ministro - "operam ilegalmente" nas Ilhas Malvinas (Falklands, para os britânicos), dominadas pela Grã-Bretanha e reivindicadas pela Argentina.

ARIEL PALACIOS, CORRESPONDENTE / BUENOS AIRES, O Estado de S.Paulo

16 de março de 2012 | 03h03

Segundo ele, a ordem da presidente é direcionar ações contra companhias que dão apoio logístico e financeiro às petrolíferas. "Quando o governo britânico outorga licenças ilegítimas, coloca essas empresas em plano de ilegalidade", disse Timerman. "Vamos defender os recursos naturais do Atlântico Sul, pois são propriedade do povo argentino."

Horas antes, o chanceler disse que o governador das Malvinas, Nigel Haywood, não passa de um "tenente do Exército", cuja última função havia sido governar Basra, no Iraque. "Sabemos que ele tem experiência em questões de colonialismo e conflitos militares", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.