Argentina volta a falar das Ilhas Malvinas

O governo argentino voltará à carga com suas reivindicações internacionais pelas Ilhas Malvinas. O ministro de Relações Exteriores, Rafael Bielsa, debutará hoje na Organização das Nações Unidas, na reunião do Comitê de Descolonização, em Nova York, onde reclaramará a soberania argentina nas Ilhas Malvinas. Bielsa exporá um argumento jurídico contra uma lei sacionada pelo governo britânico que declarou os moradores das ilhas cidadãos da coroa, dois anos depois de finalizada a guerra de 1982. Esta iniciativa invalida a defesa utilizada pela Grã-Bretanha para manter o controle das ilhas, que indica que são os kelpers (cidadãos das ilhas) que devem decidir a que nação desejam pertencer. "Se já foram declarados cidadãos britânicos, não existiria a chance de eleição". Na nova estratégia para retomar as ilhas, o governo argentino pretende tornar mais atrativos aqueles lugares do Continente que, por sua proximidade, em algum momento tiveram uma relação mais estreita com os malvinenses. Bielsa quer oferecer-lhes serviços e bens melhores e mais próximos do que os do Reino Unido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.