Argentino encontra filho levado por militares há 32 anos

Terminou a procura de um pai, cuja esposa grávida foi sequestrada por forças de segurança na Argentina há 32 anos. Abel Pedro Madariaga declarou que em nenhum momento abandonou a busca pela mulher e pelo filho, nascido em um centro clandestino de tortura, durante a mais recente ditador militar argentina (1976-1983).

AE-AP, Agencia Estado

23 de fevereiro de 2010 | 18h55

O filho também tinha dúvidas sobre sua verdadeira identidade. Tirado da mãe pouco antes de ela ser morta, o menino foi criado por uma família militar e relatou ter sofrido abusos de seu pai adotivo.

Mais de três décadas depois, ele procurou, este mês, o grupo Avós da Praça de Mayo e se submeteu a um exame de DNA. O exame revelou que ele é filho de Madariaga, que trabalha como secretário do grupo.

O filho, que agora se chama Francisco Madariaga Quintela, disse que a descoberta é como o início de uma nova vida. O ex-oficial militar que o criou, Victor Alejandro Gallo, está preso e é investigado por tráfico de crianças.

Tudo o que sabemos sobre:
Argentinaditadurasequestrospaifilho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.