Argentino extraditado para Espanha se recusa a falar na Justiça

O ex-oficial argentino Ricardo Miguel Cavall, de 52 anos, extraditado do México para a Espanha, se negou hoje a falar ao juiz Baltasar Garzon sobre a acusação de genocídio e atos de terrorismo durante a ditadura militar argentina, entre 1976 e 1983.O antigo capitão de corveta argentino chegou à base aérea de Torrejón de Ardoz, em Madri, a bordo de um avião da força aérea espanhola e sob escolta de dois polícias espanhóis. Preso em julho de 2000 em Cancun, onde estava refugiado sob uma falsa identidade, Ricardo Miguel Cavallo era reclamado pela justiça espanhola.Garzon, o magistrado que em 2001 também emitiu um mandato de captura contra o ditador chileno Augusto Pinochet, pediu ao México a extradição de Cavallo, acusado do desaparecimento de 227 pessoas e sequestro e tortura de 110 outras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.