Argentinos fazem manifestação sem violência

A manifestação de milhares de piqueteiros, aposentados, pensionistas e funcionários públicos transcorre em clima de tranqüilidade na capital da Argentina, sem sinais de violência, como teme o governo. O centro da cidade de Buenos Aires está praticamente parado, com menos da metade do número normal de automóveis em circulação. Inúmeros comerciantes decidiram fechar suas portas, enquanto que os escritórios optaram por trabalhar com pessoal reduzido ou tomar o dia como se fosse um feriado. Até a famosa e movimentada avenida Corrientes encontra-se mais vazia do que estaria nos finais de semana. O ponto alto do protesto deste primeiro aniversário de queda do governo de Fernando de la Rúa ocorrerá somente à noite, na Praça de Maio, quando terão se encontrado todas as passeatas que saíram de diversos pontos do país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.