Argentinos param de acreditar em Papai Noel aos 9 anos

Uma pesquisa realizada pela consultoria TNS indica que oito de cada dez argentinos acreditaram em Papai Noel na infância. Em média, eles param de acreditar no bom velhinho na faixa dos nove anos de idade. Além disso, a pesquisa ressaltou que duas de cada dez pessoas sentem-se "sozinhas" no período natalino e que 97% passarão a noite da véspera de Natal (e o almoço do dia seguinte) com a família.

ARIEL PALACIOS, Agência Estado

23 de dezembro de 2010 | 11h45

A pesquisa também indicou que o churrasco - tradicional quitute dos argentinos - e as empanadas são o prato forte da noite natalina. A carne bovina estará presente em mais de 60% dos lares argentinos nesta celebração. Tal como no Brasil, resultado da herança da comunidade italiana, o panetone estará presente em 85% dos lares. A pesquisa também indica que o consumo do panetone aumenta quanto mais pobre é o consumidor.

Na hora de brindar, 77% dos lares argentinos contarão com sidras, enquanto que 54% terão champanhe. Do total de pesquisados, 47% consumirão cerveja. O vinho tinto estará presente em 54% dos lares. Segundo Constanza Cilley, gerente-geral da TNS Argentina, "nestas festas ficam evidenciadas duas características cruciais dos argentinos: o valor da família e o consumo de carne".

Tudo o que sabemos sobre:
ArgentinaPapai Noelnatal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.