Argentinos relembram atentado à Amia

Membros da comunidade judaica relembraram ontem os 15 anos do atentado à bomba contra a sede da Associação Mutual Israelita-Argentina (Amia), que deixou 85 mortos e mais de 200 feridos, em Buenos Aires, em 1994. Centenas de pessoas levaram cartazes com retratos das vítimas e cobraram da presidente Cristina Kirchner e da Justiça avanços na investigação. Até hoje, nenhum terrorista foi preso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.