Ariel Sharon diz que receberá o chanceler britânico

Após receber um telefonema do primeiro-ministro britânico, Tony Blair, o primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, mudou de atitude e decidiu hoje receber o chanceler britânico, Jack Straw, embora tenha manifestado sua indignação por recentes declarações do visitante sobre o terrorismo. O escritório de Sharon havia anunciado pouco antes que o chefe do governo israelense não poderia reunir-se com Straw - que chegará hoje à noite a Israel, procedente do Irã. Israel se indignou com um comentário de Straw, publicado ontem em um jornal iraniano, sobre as causas do terrorismo. "Um dos fatores que contribuem para alimentar o terrorismo é o ressentimento que muita gente sente na região pelos acontecimentos ao longo dos anos nos territórios palestinos", escreveu Straw. Funcionários israelenses se queixaram de que o comentário de Straw poderia ser entendido como uma atribuição de culpa a Israel pelos ataques terroristas contra o Estado judeu.Em sua conversa telefônica com Blair, Sharon "manifestou a indignação e decepção em Israel pelas manifestações formuladas pelo secretário de Relações Exteriores, senhor Straw?. O presidente israelense, Moshe Katsav, também cancelou uma reunião com Straw e o chanceler Shimon Peres cancelou um jantar que ofereceria em homenagem ao visitante, mas se reunirá com ele, informou a Chancelaria israelense.Já a Chancelaria britânica disse que os comentários de Straw coincidiam com a política do governo. Straw visitou Teerã como parte do esforço conjunto dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha para formar uma coalizão internacional contra o terrorismo após os devastadores ataques de 11 setembro nos EUA.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.