Aristide é recebido como chefe de Estado na África do Sul

O presidente deposto do Haiti, Jean-Bertrand Aristide, foi recebido na África do Sul com honras normalmente reservadas a chefes de Estado, encerrando sua busca de três meses por um local que, segundo ele, será sua "residência temporária" no exílio. Antes de deixar a Jamaica, no domingo, Aristide insistiu que ainda é o presidente eleito do Haiti, e prometeu retornar a seu país.O presidente da África do Sul, Thabo Mbeki, compareceu pessoalmente ao aeroporto e abraçou Aristide e sua esposa, Mildred, no momento em que os dois desceram do avião presidencial sul-africano que levou o líder haitiano e sua família de Kingston a Johannesburgo. O casal veio acompanhado das duas filhas e de seus guarda-costas. Mbeki então apresentou o casal a ministros, diplomatas e representantes da União Africana posicionados em uma extensa fila no aeroporto.Aristide saiu do Haiti em 29 de fevereiro, quando rebeldes aproximavam-se da capital. Mais tarde, ele alegou ter sido derrubado em um golpe apoiado pelos Estados Unidos. Washington nega envolvimento. Em breve conversa com jornalistas nesta segunda-feira, Aristide agradeceu em zulu à África do Sul e à União Africana por aceitarem receber sua família."Em vez da Europa, nós somos bem-vindos na África, nosso continente-mãe, nosso lar temporário antes de retornarmos ao Haiti", prosseguiu Aristide, já falando em inglês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.