Arizona detém 37 em protestos contra lei de imigração

Numa queda de braço com a Casa Branca, o Arizona aplicou ontem sua nova lei estadual de imigração e enfrentou fortes protestos durante todo o dia. O polêmico xerife Joe Arpaio, que comanda a polícia na capital do Estado norte-americano, Phoenix, teve de suspender a varredura de suspeitos de imigração ilegal que havia programado para ontem. Pelo menos 37 manifestantes foram presos.

AE, Agência Estado

30 de julho de 2010 | 08h17

O governo do Arizona entrou ontem com uma apelação contra a decisão da juíza federal Susan Bolton, tomada na quarta-feira, de bloquear os artigos mais controvertidos da lei. A republicana Jan Brewer, governadora do Estado, acusou a Casa Branca de não honrar a sua responsabilidade de regular e combater a imigração ilegal. "A imigração ilegal é uma crise em andamento que o Estado do Arizona não criou e com o qual o governo federal se recusa a lidar."

Pelo menos quatro centenas de manifestantes se concentraram diante da sede do governo do Arizonas e bloquearam as vias das principais delegacias de polícia de Phoenix. Em paralelo, os boicotes no restante do país contra produtos do Arizona continuam em vigor, assim como o apelo para que músicos cancelem apresentações no Estado. A Associação de Hotéis do Arizona estima em US$ 12 milhões o prejuízo com o cancelamento de 40 encontros de negócios na cidade. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAArizonaimigraçãoleiprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.