Armas de Saddam não foram achadas mas existem, diz Blair

O premier britânico, Tony Blair, reconheceu que as supostas armas ilegais de Saddam Hussein talvez nunca sejam encontradas no Iraque, mas insiste que o ditador representava uma ameaça para o mundo. Os supostos programas de armas químicas e biológicas do governo iraquiano foram o principal motivo alegado por Londres e Washington para invadir o país. No entanto, as buscas realizadas após a guerra não produziram evidências.?Tenho que aceitar que não as encontramos e que talvez não venhamos a encontrá-las?, disse o primeiro-ministro a um comitê parlamentar. ?Não sabemos o que houve com elas. Podem ter sido removidas, podem ter sido escondidas, podem ter sido destruídas?. Blair rejeita a idéia de que os estoques proibidos nunca existiram, e de que Saddam não era uma ameaça em escala global.?Ir ao extremo oposto e dizer que, portanto, Saddam Hussein não representava ameaça nenhuma seria um erro?, disse ele. ?Acredito de fato que os estoques de armas estavam lá?, acrescentou.Um ano atrás, Blair disse a um crítico que duvidava da existência de armas de destruição em massa no Iraque que as buscas prosseguiam e que resultados seriam publicados. ?Acho que quando o fizermos, o honrado cavalheiro e outros irão engolir algumas de suas palavras?, havia dito o premier.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.