Armas do Hamas vieram da Síria, diz ministro jordaniano

O primeiro-ministro jordaniano Marouf al-Bakhit disse a legisladores muçulmanos de oposição que as armas capturadas em um esconderijo do Hamas na Jordânia foram contrabandeadas da Síria, informaram dois deputados nesta quinta-feira. O gabinete de Al-Bakhit recusou-se a comentar a questão, mas a agência oficial jordaniana Petra citou o primeiro-ministro dizendo aos deputados que as armas foram contrabandeadas de "um país árabe vizinho", mas não citou a Síria. Segundo a agência, Al-Bakhit afirmou durante a reunião de quarta-feira que esta não foi a primeira vez que o Hamas contrabandeou armas para a Jordânia, mas houve diversas outras tentativas frustradas. Segundo o líder do bloco Frente de Ação Islâmica, Azzam Hneidi, o ministro não disse como os ativistas do Hamas conseguiram trazer as armas e explosivos da Síria, onde os líderes do grupo extremista palestino estão baseados. Hneidi disse à Associated Press que Al-Bakhit fez seus comentários durante uma reunião com ele e nove outros membros da Frente de Ação Islâmica, braço político do Movimento da Irmandade Muçulmana. Oficiais do governo evitaram comentar as afirmações, aparentemente para evitar tensões com o país vizinho. Os Estados Unidos acusam a Síria de patrocinar o terrorismo. O país apóia grupos anti-Israel como o Hamas e o Hezbollah. O governo americano já impôs sanções econômicas contra Damasco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.