Reuters
Reuters

Armas enviadas para forças afegãs caem nas mãos do Taleban

Evidências apontam que munição fornecida pelos EUA para o Exército é usada contra soldados americanos

C. J. Chivers, The New York Times

20 de maio de 2009 | 09h45

Insurgentes no Afeganistão, que lutam em uma das mais pobres e remotas regiões do planeta, conseguiram por anos manter um confronto de guerrilha intensivo contra as forças americanas e afegãs, que possuem equipamento bélico bastante superior. Porém, armas e munições encontradas com militantes mortos deram uma dica da possível razão: dos 30 rifles tomados dos cadáveres, pelo menos 17 continham cartuchos identiticos à munição que os EUA forneceram ao Exército do Afeganistão, de acordo com um exame obtido pelo The New York Times e através de entrevistas com oficiais e negociadores de armas americanos.

 

Veja também:

especialEspecial: 30 anos de violência e caos no Afeganistão 

 

A presença desse tipo de munição com os mortos no Vale do Qurangal, uma região de combates frequentemente violentos na região da fronteira do Afeganistão com o Paquistão, sugere que o armamento bélico fornecido pelo Pentágono saia das mãos de forças afegãs e são usadas contra tropas americanas.

 

O meio pelo qual o armamento é desviado ainda é desconhecido. Oficiais militares, analistas de armas e negociantes apontam uma possibilidade preocupante: se somente os EUA e afegãos controlam esse tipo de armamento no território, que é enviado ao país durante os oito anos de conflito, a falta de disciplina e a corrupção entre soldados afegãos pode ter ajudado os insurgentes na obtenção do armamento.

 

Os EUA têm sido criticados porque não são capazes de prestar contas dos rifles enviados para as forças afegãs. Algumas dessas armas foram documentadas nas mãos de militantes taleban, incluindo o armamento que matou nove americanos durante um confronto no ano passado. Em resposta, o comando militar de transição no Afeganistão, dirigido pelos EUA, encarregou-se do treinamento e fornecimento de equipamento para as forças afegãs, afirmando que a prestação de contas de toda a polícia e o Exército do país é sua prioridade. O Pentágono criou ainda uma base de dados das armas menores enviadas às unidades afegãs.

 

Nenhum sistema semelhante foi criado para a munição, que é mais difícil de ser rastreada e de acesso mais fácil do que armas de fogo, passando para as mãos de insurgentes por corrupção, venda ilegal, roubou, perda em campo de batalha e outros meios.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.