Armas mostram o vale-tudo da guerra civil síria

Cenário: Eliot Higgins / Foreign Policy

O Estado de S.Paulo

06 de dezembro de 2012 | 23h49

Grande movimentação de rebeldes sírios num amplo espaço aberto. Longe da câmera, um grupo grita "Deus é grande". Diante deles está o butim conseguido numa recente investida: uma quantidade de tanques T-55 e de carros de combate BMP usados pela infantaria.

Os 21 meses do levante da Síria evoluíram para uma guerra civil na qual vale tudo, onde ambos os lados lançam mão de tudo o que permita matar o adversário de maneira mais eficiente. E não apenas armas convencionais. Para continuar a luta, tanto rebeldes quanto o Exército adotaram uma variedade de armamentos construídos por eles mesmos. Alguns constituem a espinha dorsal dos rebeldes sírios, outros são tão perigosos para o operador quanto para seus alvos.

Outros exemplos mais inusitados de lançadores de foguetes montados em caminhonetes incluem um tipo de plataforma normalmente usada por aeronaves, que dispara foguetes S-5. Esses foguetes, embora raramente sejam vistos nos vídeos da Síria, eram uma das armas favoritas dos rebeldes da Líbia.

As armas montadas nas caminhonetes são um dos elementos básicos do conflito. Até o fim de setembro, essas armas estavam quase completamente ausentes dos vídeos dos rebeldes sírios que costumam gravar suas operações. Nas últimas seis semanas, a situação mudou totalmente: os vídeos mostraram os combatentes utilizando essas armas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.