Armênia congela reaproximação diplomática com Turquia

O governo da Armênia congelou a ratificação de um tratado para normalizar suas relações diplomáticas com a Turquia e para reabrir a fronteira entre os dois países, disse nesta quinta-feira o presidência armênio, Serge Sarkisian. O congelamento representa um retrocesso nos esforços para os dois países acabarem com sua longa inimizade.

AE-AP, Agência Estado

22 de abril de 2010 | 19h56

"Nós deveremos caminhar em frente quando estivermos convencidos de que existe um ambiente adequado na Turquia e houver uma liderança em Ancara pronta a retomar o processo de normalização", disse o presidente em discurso na televisão.

A Turquia fechou sua fronteira com a Armênia em 1993, em protesto contra o envolvimento militar da Armênia na guerra conduzida por separatistas armênios do enclave de Nagorno-Karabakh, no Azerbaijão, país cujo povo é de etnia turca. Desde então, Nagorno-Karabakh está sob controle de forças armênias e de separatistas armênios.

O fechamento da fronteira aumentou ainda mais as tensões, já exacerbadas pela questão sobre se a matança de 1,5 milhão de armênios pelas forças do Império Otomano, a partir de 1915, foi um genocídio.

Sarkisian disse hoje que o congelamento não significa que a Armênia tenha abandonado o processo de normalização das relações com a Turquia, mas que apenas "suspenderá o procedimento de ratificar os protocolos".

Na Turquia, o primeiro-ministro, Recep Tayyip Erdogan, disse que a Armênia é livre para decidir como o processo deve avançar. "Eu expressei minha lealdade aos pactos em várias ocasiões", afirmou Erdogan. A mediação feita pela Rússia, França, Estados Unidos e a Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE) obteve escasso progresso na disputa sobre Nagorno-Karabakh.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.