Armênia freia tratado de paz com a Turquia

No Brasil, especialistas se reúnem na USP para debater genocídio de[br]1,5 milhão de armênios, há 95 anos

Moacir Assunção, O Estado de S.Paulo

23 de abril de 2010 | 00h00

A Armênia suspendeu ontem a ratificação de um acordo de paz com a Turquia cuja elaboração teve início em outubro e pretendia restabelecer as relações diplomáticas e reabrir as fronteiras entre os dois países.

O Parlamento turco já havia ameaçado congelar as conversações anteriormente. Os dois lados acusam-se mutuamente de tentar alterar o texto do documento.

Em abril de 1915, 1,5 milhão de armênios foram massacrados pelo Império Otomano (atual Turquia), no que é considerado uma espécie de "ensaio" para o massacre de judeus na Alemanha nazista durante a 2.ª Guerra.

Brasil. Um seminário internacional promovido pela USP, ontem e hoje, reuniu 11 acadêmicos de diversos países para debater o genocídio armênio e em outros conflitos atuais, como Darfur, Camboja, Ruanda e ex-Iugoslávia.

"Em 1915, França e Alemanha emitiram uma declaração conjunta contra o genocídio. No entanto, os líderes turcos jamais foram punidos porque o documento original foi substituído pela Tratado de Lausanne, oito anos depois, que não fazia menção ao massacre", disse a professora Sévane Garibian, da Universidade de Neuchatel, na Suíça.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.