Armênia tem estado de emergência; protestos por eleição matam 8

Oito pessoas morreram e 33 policiaisficaram feridos durante os violentos protestos noturnos naArmênia, que terminaram depois de o governo declarar estado deemergência e mobilizar o Exército. O estado de emergência, vigente até 20 de março, foideclarado após os piores distúrbios na Armênia em uma década,provocados por manifestantes da oposição contra os resultadosdas eleições presidenciais de 19 de fevereiro. A oposição considerou que as eleições foram manipuladas,apesar de observadores de potências do Ocidente indicarem queem geral elas foram justas. A polícia manteve duros enfrentamentos com os simpatizantesda oposição, que fizeram protestos diários desde que oprimeiro-ministro, Serzh Sarksyan, foi eleito presidente. O estado de emergência proíbe protestos e impõe censura. O presidente que irá deixar o cargo, Robert Kocharyan,disse a medida foi tomada para "prevenir uma ameaça de ordeminstitucional". Kocharyan acusou os manifestantes de disparar, lançargranadas e de planejar um golpe de estado. A oposição negou eafirma que a polícia ataca protestos pacíficos. REUTERS FE

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.