Arnett é novamente demitido por criticar EUA

A rede de TV norte-americana NBC News e a MSNBC romperam as ligações com o repórter Peter Arnett, após ele ter dado uma entrevista a uma emissora iraquiana, na qual afirma que os planos de guerra da coalizão anglo-americana fracassaram e que os estrategistas militares estavam procurando estrututar um novo plano. "Arnett errou ao conceder uma entrevista à TV iraquiana controlada pelo estado, especialmente em uma época de guerra. Ele errou ao discutir suas observações pessoais e opiniões em uma entrevista. Por esse motivo, Arnett não vai mais mandar matérias para a NBC News e MSNBC", informou a NBC. Arnett foi enviado ao Iraque como funcionário do "National Geographic Explorer", programa da MSNBC. Quando outros repórteres da NBC deixaram Bagdá por razões de segurança, a rede começou a transmitir suas matérias. Segundo a NBC, a National Geographic também rompeu ligações com Arnett. Ao saber da decisão, Arnett pediu desculpas à NBC e ao público norte-americano por ter criado uma controvérsia. "Eu peço desculpas à população norte-americana por ter feito um julgamento errado ao dar uma entrevista à televisão iraquiana no fim de semana?, disse.?Basicamente, eu disse à TV o que nós todos sabemos sobre a guerra - que ocorreram atrasos na implementação da estratégia de guerra, que ocorreram surpresas. Mas ao dar essa entrevista à TV iraquiana, eu criei um incêndio nos EUA e, por isso, estou verdadeiramente arrependido", completou Arnett. Vencedor de um prêmio Pulitzer por sua cobertura sobre a guerra no Vietnã para a agência de notícias Associated Press, Arnett foi correspondente da rede CNN durante a Guerra do Golfo, em 1991. Durante aquele conflito, Arnett foi criticado pela Casa Branca por sua cobertura, especialmente, ao denunciar que as bombas da então força aliada tinham atingido uma fábrica produtora de leite para bebês por engano, pois imaginava-se que fosse um depósito de armas químicas. Arnett foi demitido da CNN, após acusar as tropas norte-americanas de usarem gás sarin no vilarejo de Laotian, em 1970. Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.