Arqueólogos descobrem cidade egípcia de 3.500 anos

Arqueólogos encontraram no oásis de um deserto ruínas de um assentamento egípcio de 3.500 anos, que antecede outras cidades antigas por um milênio, informou nesta quarta-feira o Ministério da Cultura.

REUTERS

25 de agosto de 2010 | 16h38

Realizando escavações no oásis Um El-Kharga, um dos cinco desertos ocidentais do Egito -- a cerca de 200 quilômetros ao sul do Cairo --, uma missão da universidade de Yale fez a descoberta enquanto trabalhava em um mapa de rotas antigas do Deserto Ocidental.

O assentamento possui rotas ligando o Vale do Nilo, no Egito, com o oásis ocidental, se estendendo até a região de Darfur, no Sudão, disse o comunicado. O local atingiu seu auge no Reino Médio (1786 a 1665 antes de Cristo)

As ruínas de uma padaria, assim como dois fornos e um torno de oleiro usado na produção de formas de cerâmica, onde o pão era assado, também foram encontrados, sugerindo que o local seria um importante centro gastronômico, informou o chefe da missão, John Darnell.

(Por Marwa Awad)

Tudo o que sabemos sobre:
EGITODESCOBERTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.