Arquidiocese de Boston escapa de processo criminal

Nenhuma ação criminal terá início contra autoridades da arquidiocese de Boston no caso dos abusos sexuais cometidos por padres que tiveram permissão para continuar trabalhando na paróquia, disse um porta-voz da procuradoria-geral do Estado. O relatório do procurador-geral Thomas Reilly, baseado, em parte, numa investigação realizada por um grande júri estadual, limita-se a documentar os abusos ocorridos e faz sugestões para evitar problemas semelhantes no futuro, disse a WBZ-TV de Boston. A procuradoria não liberou o documento neste domingo, mas confirmou a descrição feita pela TV. Mitchell Garabedian, advogado de mais de 100 supostas vítimas de abuso, disse não ter visto o texto do procurador, mas mostrou-se desapontado pela ausência de acusações de caráter criminal.

Agencia Estado,

20 Julho 2003 | 22h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.