Arranha-céu em Londres é acusado de derreter Jaguar

Motoristas podem querer pensar duas vezes antes de estacionar o carro na frente de um arranha-céu em construção em Londres, conhecido como Walkie-Talkie. Isto porque o reflexo da luz do sol provocado pelo prédio é tão intenso que o dono de um Jaguar acusou o prédio de ser o responsável por seu carro derreter. E isto não é tudo, vizinhos contaram que o reflexo do prédio também foi responsável por provocar um buraco no tapete de boas-vidas de uma barbearia do outro lado da rua.

AE, Agência Estado

03 Setembro 2013 | 21h21

"Estávamos trabalhando e de repente começou a sair fumaça do tapete", contou o proprietário da barbearia, Ali Akay. "Este é um assunto de saúde e segurança. Eles deviam saber disso antes de construir o prédio".

Problemas similares já ocorreram em outros prédios modernos, incluindo em Los Angeles, onde os vizinhos do Walt Disney Concert Hall, de autoria de Frank Gehry, denunciaram o aquecimento provocado pelo prédio, o que levou a medidas corretivas.

Em comunicado conjunto, os incorporadores Land Securities e Canary Wharf disseram que estão considerando seriamente as reclamações e estão estudando como o prédio reflete a luz do sol. A construção da torre de 37 andares, um dos arranha-céus mais proeminentes do distrito financeiro de Londres, está prevista para terminar em 2014.

Aparentemente, o problema ganhou atenção pública após um empresário Martin Lindsay ter contado a repórteres que partes de seu Jaguar, como janela e painéis, derreteram em razão do reflexo concentrado da luz do sol provocado pelo prédio.

"O carro ficou estacionado na City por umas duas horas e está completamente empenado", afirmou ele. "Ficou totalmente arruinado."

O problema ocorre durante cerca de duas horas por dia e deve continuar por outras duas semanas, afirmaram os incorporadores.

"O fenômeno ocorre por causa da elevação atual do sol no céu", explicaram eles.

Enquanto isso, as empresas disseram que vão construir um tapume no nível da rua para minimizar o problema. Eles disseram também que pediram às autoridades para suspender o estacionamento em três espaços.

Mais conteúdo sobre:
Londresjaguarprédio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.