Arrecadador de fundos do partido de Blair volta a ser preso

O principal arrecadador de fundos do Partido Trabalhista britânico, sigla do premiê Tony Blair, foi preso nesta terça-feira sob suspeita de tentar enganar investigações da Justiça, informou uma fonte policial. O lorde Michael Levy foi preso quando voltou à delegacia de polícia para uma audiência relacionada a ilegalidades em um escândalo de tráfico de influência, no qual haveria troca empréstimos por favores. Ele chegou a ser detido no ano passado. Levy, enviado especial de Blair ao Oriente Médio, negou ter cometido qualquer crime."O lorde Levy foi à delegacia de polícia hoje, conforme pedido", afirmou um porta-voz de Levy em nota. "Ele foi interrogado novamente. Ele nega completamente qualquer acusação de ter cometido qualquer tipo de crime. Ele deixou a delegacia de polícia no começo da tarde e desde então existe uma investigação contínua sobre a qual ele não fará comentários neste momento." A polícia informou em nota que um homem tinha sido preso e que saiu sob fiança, na dependência de mais investigações. Levy foi preso pela primeira vez em julho de 2006 durante uma investigação da polícia sobre financiamento partidário ilegal, no escândalo que afetou Blair em meio a uma série de acusações de irregularidades que pairou sobre membros do governo. Em dezembro de 2005, Blair se tornou o primeiro premiê desde David Lloyd George, na década de 1920, a ser interrogado pela polícia em um inquérito sobre propina em troca de favores. A polícia está investigando denúncias segundo as quais o Partido Trabalhista prometeu títulos de nobreza - acompanhadas de assentos na Câmara dos Lordes (que funciona como câmara alta na Grã-Bretanha) - em troca de empréstimos para ajudar a financiar a campanha nas eleições gerais de 2005. Ninguém do gabinete de Blair estava imediatamente disponível para fazer comentários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.