Arroyo decreta fim do "estado de rebelião"

A presidente das Filipinas, Gloria Macapagal Arroyo, decretou hoje o fim do "estado de rebelião" na zona metropolitana de Manila, cinco dias depois de ter determinado a repressão contra uma tentativa de golpe de Estado. "O problema diminuiu e, embora ainda exista uma ameaça contra nossa república, agora temos o controle da situação", afirmou Arroyo em uma mensagem lida na televisão em cadeia nacional.Arroyo defendeu sua decisão de declarar um estado de rebelião - que deu à polícia autorização para realizar detenções sem ordem prévia - como uma ferramenta legal utilizada para assegurar a democracia. Também hoje, o chefe militar Diomedio Villanueva disse que as tropas começaram a reduzir sua presença na capital.No dia 1º, mais de 3.000 soldados, apoiados por tanques e helicópteros, montaram guarda no palácio presidencial de Malacanang, nos quartéis militares e nas estações de televisão depois que cerca de 50.000 seguidores do deposto presidente Joseph Estrada tentaram invadir a sede do poder. Durante as dispersões, pelo menos seis pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.