Arthur finalmente foi preso .Por ter matado a filha há 30 anos

Arthur George Carr, 62 anos, de Ross-on-Wye, no oeste da Inglaterra, matou seu filha Gillian em algum dia entre fevereiro de 1973 e dezembro de 1975, quando ela tinha sete, oito ou nove anos. Apesar da procura intensa da polícia, seu corpo nunca foi encontrado. Agora, trinta anos depois, Carr finalmente está preso.A notícia sobre sua condenação a nove anos de prisão, em maio passado, tornou-se pública hoje, quando um juiz interrogando Carr num outro caso de estupro, revogou uma ordem proibindo reportagens sobre o julgamento do assassinato no Tribunal de Hereford.Carr, um encanador, foi preso em julho de 2002 e condenado com base na evidência oferecida por seu filho, Vincent, agora com 35 anos, que disse que seu pai revelara o crime durante uma discussão há 18 anos.Vicent Carr não se lembra de sua irmã, mas foi à polícia depois de descobrir sua existência vendo sua certidão de nascimento.?Este foi um caso extremamente difícil para se investigar, porque Gilliam desapareceu há cerca de 30 anos e, a despeito de procuras intensivas, o corpo nunca foi encontrado?, disse o inspetor Dave Williams, da polícia de Herefordshire. ?Gastamos uma enorme quantidade de tempo e esforço para demonstrar que Gillian não existia mais e o veredicto reflete o que foi o caso.? Carr foi considerado culpado pelo Tribunal de Worcester por quatro acusações de estupro.O juiz, no julgamento de hoje, ordenou que um número de outras acusações, incluindo assalto e ameaças de morte, contra Carr fossem arquivadas e suspensas até que houvesse algum apelo à corte.Parentes de Gillian Car mostraram-se aliviados por seu pai estar atrás das grades.?Foram tempos traumáticos para nós e tivemos de ter muita coragem para encarar Arthur?, disse a família numa nota. ?Estamos aliviados que Gillian tenha pelo menos tido voz e gostaríamos de encontrar seu corpo para finalmente dar-lhe descanso.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.