EFE/Roman Pilipey
EFE/Roman Pilipey

Artista ucraniana cria retrato de Putin com 5 mil cartuchos de bala

Os cartuchos foram recuperados no leste da Ucrânia, onde um sangrento conflito opõe separatistas pró-Rússia e as forças armadas de Kiev

O Estado de S. Paulo

07 de agosto de 2015 | 15h16

KIEV - Uma artista ucraniana criou um retrato do presidente russo, Vladimir Putin, com 5 mil cartuchos de bala recuperados no leste da Ucrânia, onde um sangrento conflito opõe separatistas pró-Rússia e as forças armadas de Kiev.

Com um terno preto e uma gravata elegante, Putin olha fixamente o espectador. A peça de 2 metros de altura domina o ateliê de Daria Martchenko, de 33 anos, a autora do retrato batizado de "O rosto da guerra".

A artista admitiu que no início ficou com um pouco de medo de dormir no mesmo quarto em que estava o retrato, mas depois se acostumou. Daria também destaca que a obra é meio mutável, dependendo da iluminação. "Quando vemos que ele muda a expressão, isso revela certas coisas. Na minha opinião, esta guerra é diferente das outras porque se baseia em mentiras", explica.

Cada um dos 5 mil cartuchos que formam o retrato foram recuperados no leste da Ucrânia. Muitos foram recolhidos por seu namorado, muito envolvido no movimento popular que levou à destituição do presidente pró-russo Viktor Yanukovich, em fevereiro de 2014. Outros amigos, que combatem os pró-russos, arranjaram outras balas, disparadas tanto por um lado quanto pelo outro.

Em 15 meses, o conflito deixou mais de 6,8 mil mortos, principalmente em Kiev, e os ocidentais acusam a Rússia de apoiar econômica e militarmente os rebeldes, o que Moscou desmente. "Infelizmente, a guera me dá muito material para trabalhar", assinala Daria.

A artista acha que Putin já deve ter conhecimento de seu trabalho. "Talvez eu seja um pouco ingênua, mas espero que ele se questione como quer ser recordado na história", conclui. / AFP

Vídeo: Putin voa de ultraleve e orienta jovens aves em rota migratória


Tudo o que sabemos sobre:
RússiaUcrâniaDaria Martchenko

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.