AFP PHOTO / Johan ORDONEZ
AFP PHOTO / Johan ORDONEZ

As erupções vulcânicas mais mortíferas dos últimos 25 anos

Explosão do Krakatoa, na Indonésia, em 1883, é considerada o maior fenômeno terrestre já observado; veja outros mais recentes

O Estado de S.Paulo

05 Junho 2018 | 07h53

PARIS - A erupção do Vulcão de Fogo, na Guatemala, deixou mais de 60 mortos e prejudicou milhares de pessoas, que tiveram de deixar suas casas e se dirigir a abrigos. Veja abaixo as erupções mais mortíferas registradas nos últimos 25 anos.

+ Equipes de resgate retomam buscas por sobreviventes da erupção de vulcão na Guatemala

+ Paraíso no Havaí vive o constante risco das erupções vulcânicas

2014: Japão

O vulcão Ontake, de 3.067 metros de altura e localizado no centro do país, despertou no dia 27 de setembro, projetando uma espessa nuvem de fumaça, cinzas e pedras. Centenas de excursionistas foram surpreendidos e 60 deles morreram. A catástrofe foi a pior do tipo registrada no Japão desde o fim da 2.ª Guerra. Em 1991, a erupção do monte Unzen matou 43 pessoas, incluindo os vulcanólogos franceses Maurice e Katia Krafft e o pesquisador americano Harry Glicken.

+ Cidade fantasma vulcânica do Havaí: portas entreabertas em casas destruídas pela lava

+ Autoridades anunciam estado de alerta para vulcão na Indonésia

2014: Indonésia

Na ilha de Sumatra, no oeste do país, ao menos 16 pessoas morreram no início de fevereiro em uma potente erupção do vulcão Sinabung, que havia despertado cinco meses antes, após 400 anos de inatividade. Em maio de 2016, povoados inteiros foram cobertos por cinzas após uma nova erupção que deixou ao menos sete mortos.

2010: Indonésia

A erupção em outubro do vulcão Merapi, de quase 2.900 metros de altitude, causou mais de 300 mortes e o deslocamento de 280 mil pessoas. Foi a maior erupção desde 1872 do vulcão localizado em uma região densamente povoada no centro da ilha de Java, embora uma outra registrada em 1930 tenha causado mais vítimas (1.300 mortos). 

2002: República Democrática do Congo

Em janeiro de 2002, a erupção do vulcão Nyiragongo, próximo a Goma (leste da República Democrática do Congo), destruiu completamente o centro da cidade e diversos bairros residenciais, além de deixar parte da infraestrutura carbonizada. Sua erupção mais mortífera foi em 1977 que deixou mais de 600 mortos.

1999: Peru

Uma repentina erupção vulcânica do Cortador, 800 km ao noroeste de Lima, provocou em novembro a explosão de uma colina e deslizamentos de terra que deixaram 34 desaparecidos.

1997: Montserrat

Em agosto de 1997, Plymouth, a capital da pequena ilha britânica de Montserrat, no Caribe, foi apagada do mapa. A capital foi inundada por colunas de fogo e cinzas provocadas pela erupção do vulcão Soufriere Hills. Vinte pessoas morreram.

1996: Filipinas

Em setembro, o colapso da cratera do vulcão Parker, no sul da ilha de Mindanao, deixou 70 mortos e 30 desaparecidos. Cinco anos antes, uma erupção do vulcão Pinatubo (80 km ao norte de Manila) havia matado mais de 800 pessoas.

Destaques históricos

A erupção vulcânica mais famosa da história é a do Vesúvio, que destruiu Pompeia e Herculano em 79 D.C. Entretanto, a explosão do Krakatoa, na Indonésia, em 1883, é considerada o maior fenômeno terrestre já observado. O jato de cinzas, pedras e fumaça atingiu mais de 20 mil metros de altitude, mergulhando toda a região em trevas. A erupção foi acompanhada por um gigantesco tsunami, cujas ondas deram a volta ao mundo. A catástrofe deixou mais de 36 mil mortos. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.