EFE/ John Reyes
EFE/ John Reyes

As razões para Keiko ter equilibrado a disputa com Castillo no Peru; leia análise

Apoio de atores da centro-direita peruana que atenuaram o anti-fujimorismo à candidata Keiko pode ter sido determinante

Carlos Meléndez*, O Estado de S.Paulo

07 de junho de 2021 | 11h31

Os resultados da boca de urna no Peru marcaram um empate técnico entre Keiko Fujimori e Pedro Castillo, com uma pequena vantagem para a candidata do Força Popular. Mas é necessário ressaltar alguns pontos enquanto não temos os resultados oficiais. Em primeiro lugar, Keiko foi somando apoios que lhe permitiram diminuir a distância para o oponente (mais de 10 pontos percentuais) desde que começou a campanha do segundo turno.

Isso se deveu ao apoio de Vargas Llosa e outros atores da centro-direita peruana que atenuaram o anti-fujimorismo. Essa identidade negativa ficou presa apenas ao campo da esquerda.

Em segundo lugar, principalmente nas últimas semanas, Keiko conseguiu sintonizar um nível de identidade com o eleitorado feminino por meio de uma campanha nas mães das famílias tradicionais peruanas, bastião histórico do fujimorismo. 

Em terceiro lugar, e já nos últimos dias da campanha, o fujimorismo reforçou uma campanha para promover a participação eleitoral dos mais velhos, grupo etário favorável ao partido nas zonas urbanas do país. Essa estratégia de “Get Out The Vote” foi chave para essa possível surpresa. 

Por outro lado, na ala de Pedro Castillo predominou o caos, equipes técnicas que eram modificadas a cada semana e o amadorismo eleitoral foi evidenciado na desconexão das mensagens até o seu eleitorado. 

No entanto, Castillo conseguiu manter os níveis de apoio altos porque, apesar de suas debilidades, conseguiu continuar representando os “perdedores” peruanos dos últimos trinta anos do modelo de mercado do país. Esse eleitorado que predomina na zona andina peruana se conectou com um professor de escola rural que rebate o establishment, apesar de não ter oferecido certezas e nem um objetivo convincente. 

Foi o discreto encanto do outsider anti-sistema capitalizando o rancor de metade do país. 

* É CIENTISTA POLÍTICO PERUANO

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.