Às vésperas da eleição, Yushchenko lidera pesquisas

Os dois candidatos à presidência daUcrânia, o governista Viktor Yanukovych e o oposicionista Viktor Yushchenko encerraram hoje a campanha para o novo segundo turno da eleição, que será realizada no domingo. Pesquisas deintenção de voto apontavam vantagem de até 14 pontos porcentuais para Yushchenko. A última sondagem, do Instituto de Estudos Sociais, indicou 49,4% para o oposicionista e 39% para ogovernista.Esta é a terceira vez que os ucranianos vão às urnas em menos de dois meses. Yushchenko venceu o primeiro turno da eleição por menos de 1 ponto porcentual, mas sem obter mais de 50% dos votos, como exige a legislação. No segundo turno,realizado em 21 de novembro, a Comissão Eleitoral Central declarou Yanukovych vencedor, com 800 mil votos a mais do que Yushchenko, apesar de observadores internacionais terem constatado ampla fraude em seu favor. A oposição recorreu àJustiça enquanto milhares de partidários de Yushchenko mantinham um protesto por vários dias no centro de Kiev. Por fim, a CorteSuprema anulou o segundo turno e marcou a nova votação para domingo. Além disso, novos membros foram nomeados para a Comissão Eleitoral.Os partidários de Yanukovych promoveram hoje um concerto em seu apoio. Um sorteio definiu um horário para pronunciamento hoje de Yanukovych na rádio e para Yushchenko na TV, ambasestatais. Yanukovych ocupa o cargo de primeiro-ministro - do qual se licenciou depois da anulação do segundo turno - e é o candidato do presidente Leonid Kuchma, que está há 11 anos nopoder e é um aliado da Rússia. O governista tem forte apoio nas províncias do leste e do sul, a base industrial da Ucrânia, onde a influência russa é mais forte. Já Yushchenko foi presidente do Banco Central, mas se afastou de Kuchma e defende um programa de aproximação da União Européia e dos EUA. É o favorito no oeste,tradicionalmente nacionalista."Vou vencer porque já venci no primeiro e no segundo turnos. E desta vez vou vencer no terceiro turno", disse Yushchenko aos jornalistas. Yanukovych declarou a seuspartidários no concerto que não permitirá que ninguém de fora se encarregue do futuro das crianças do país - uma referência aoapoio dos EUA a Yushchenko. "Juntos, nós vamos vencer", afirmou. Ele disse que o Ocidente teme a competição da Ucrânia, por isso "gastou muito dinheiro para que seus intermediários tomem opoder e removam a competição".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.