Ashcroft defende novas estratégias antiterror

O secretário de Justiça dos EUA, John Ashcroft, respondeu às críticas contra as novas políticas antiterroristas do governo, dizendo que essas medidas foram delineadas com cuidado para respeitar os direitos constitucionais. Ashcroft questionou, nesta sexta-feira, as "vozes negativas" dos críticos que condenaram uma série de táticas para deter pessoas com supostos vínculos terroristas, espionar suas conversas e, possivelmente, julgar secretamente os suspeitos estrangeiros em tribunais militares. "Alguns tentaram nos condenar com fatos falsos ou sem nenhuma base", disse Ashcroft, durante cerimônia de entrega de prêmios a procuradores. "Outros simplesmente se agarraram a seu julgamento, empenhados em pensar o pior sobre seu governo, antes de sequer tentar compreendê-lo". Sem entrar em detalhes, Ashcroft acrescentou que sua ofensiva de detenções de supostos terroristas ajudou a evitar outro ataque após os atentados de 11 de setembro. Grupos de defesa dos direitos civis criticaram Ashcroft por não divulgar os nomes de centenas de pessoas do Oriente Médio detidas por delitos migratórios. Também criticaram a proposta do governo de interrogar milhares de estrangeiros originários de países árabes e islâmicos ou de outras nações onde operam supostos grupos terroristas. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.