Asiáticos emergentes têm mais feriados do que o Brasil

Um dos argumentos mais populares nas conversas de boteco para se justificar a performance econômica superior dos países asiáticos à dos latino-americanos refere-se ao número de feriados de cada região. Segundo essa tese, os países latino-americanos, com ênfase no Brasil, são campeões em feriados, com sociedades menos propensas ao trabalho e produtividade do que os "tigres asiáticos". Mas um levantamento feito pelo banco Barclays Capital mostra que os asiáticos, na verdade, têm muito mais feriados do que os latino-americanos.Com base no calendário dos últimos três anos, Michael Hood e Jimena Zuniga, analistas do banco de investimentos, constataram que os emergentes asiáticos, em média, contam com quatro feriados a mais por ano do que os países do leste europeu, América Latina ou os integrantes do G-7, grupo que reúne as sete economias mais ricas do mundo.A América Latina, apesar de sua má reputação, conta com uma média de 10,3 feriados por ano. Trata-se inclusive de um número marginalmente inferior ao dos países do G-7, que é de 10,4 dias. Os emergentes europeus são os que contam com menos feriados, 9,5 dias.A Indonésia é a líder absoluta na Ásia, como uma média de 17,3 feriados por ano. "O país mostra o benefício do multiculturalismo, observando não menos do que três comemorações de Ano Novo", afirmaram Hood e Zuniga. Já a China conta com três semanas completas e separadas de feriados, ao invés de espalhá-los ao longo do ano.Segundo os analistas, os resultados podem ser interpretados de maneiras diferentes. "Observadores externos podem suspeitar que os asiáticos, após convencerem o mundo de sua diligência, agora se sentem livres para relaxar", afirmaram. "Já os asiáticos podem responder que sua extremamente alta produtividade permite um crescimento econômico mais rápido mesmo com um grande número de dias de folga." Mas, segundo os analistas, o grande número de feriados na Ásia pode ser explicado pelo fato do período de férias anuais na região ser, no geral, mais limitado do que em outras partes do mundo.Os analistas observaram que os países latino-americanos tendem a programar apenas feriados relacionados a datas religiosas ou eventos históricos, "evitando desculpas obviamente inventadas para dias de folga como o Dia do Jovem e Esportes na Turquia ou o Dia do Verde no Japão".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.