Reuters
Reuters

Aso reconhece fracasso com os problemas sociais no Japão

Primeiro-ministro japonês reafirma sua responsabilidade na derrota que encerrou meio século de governo liberal

Efe,

31 de agosto de 2009 | 08h13

O primeiro-ministro do Japão, Taro Aso, admitiu nesta segunda-feira, 31, seu fracasso em responder aos problemas sociais do Japão e reafirmou sua responsabilidade na histórica derrota de seu partido, o PLD, nas eleições deste domingo.

 

Veja também:

Após vitória esmagadora, oposição começa a formar governo no Japão

lista Perfil: Filho da elite japonesa, Hatoyama promete investir no social

 

Como já fez no domingo, após conhecer a forte queda de votos do Partido Liberal-Democrata (PLD) frente ao pleito de 2005 (119 cadeiras frente a 303), Aso disse que renunciará da Presidência dessa força política para que possa ter um "novo começo".

 

É preciso, segundo Aso, que o PLD se reconstrua e volte ao poder em detrimento da força ganhadora no pleito de ontem, o Partido Democrático (PD), que obteve a maioria absoluta, informou a agência local Kyodo.

 

O primeiro-ministro reconheceu que a "grave" derrota eleitoral de seu partido aconteceu porque não foi capaz de responder aos problemas sociais do Japão, incluindo a crescente disparidade social. No entanto, defendeu sua decisão de atrasar as eleições até o final de agosto, quando se esperava que convocasse eleições pouco após assumir o poder, em setembro de 2008.

 

O tempo todo, Aso disse que era preciso enfrentar primeiro os problemas econômicos do país e a crise, mas finalmente a derrota de seu partido aconteceu devido à incidência da recessão, segundo os analistas. Outro dos grandes derrotados é seu parceiro na coalizão governamental, o partido budista Novo Komeito, que passou de 31 cadeiras de 2005 para 21 na próxima legislatura.

Tudo o que sabemos sobre:
Taro AsoJapão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.