Assad: acordo sobre armas químicas vai levar 1 mês

O presidente da Síria, Bashar al-Assad, disse nesta quinta-feira em uma entrevista para a emissora russa Rossiya 24 que o acordo para colocar as armas químicas do país sob controle internacional pode levar um mês ou mais para ser implementado. Ele também comentou que o acordo só será efetivado se os EUA pararem de ajudar os "terroristas", como o governo chama os rebeldes que tentam derrubar Assad, e interromperem sua "política de ameaças".

Agência Estado

12 Setembro 2013 | 13h17

Assad deixou claro que não está se curvando à pressão dos EUA e disse que só aceitou entregar suas armas químicas graças à intervenção da Rússia nas negociações. Mesmo assim ele garantiu que não vai assinar um acordo internacional "unilateral", exigindo concessões dos norte-americanos. "Os EUA precisam parar de fornecer armas para os terroristas, mostrar que eles querem a paz na região e parar com a política de ameaças", afirmou. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
SíriaviolênciaAssad

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.