Assad acusa Israel e diz que pode confrontar agressores

O presidente da Síria, Bashar Assad, disse que seu Exército é capaz de confrontar qualquer "agressão" feita contra o seu país. As declarações de Assad são as primeiras desde que Israel realizou um ataque aéreo na quarta-feira contra seu país.

Agência Estado

03 de fevereiro de 2013 | 10h50

Segundo autoridades norte-americanas, o alvo do ataque era um comboio que levava armas antiaéreas para o Hezbollah, grupo militante xiita sediado no Líbano.

De acordo com a agência oficial de notícias Sana, Assad disse também que o ataque israelense teve como objetivo "desestabilizar" a Síria. O ataque "mostrou o verdadeiro papel que Israel está desempenhando, o de colaborar com forças estrangeiras inimigas e seus agentes em solo sírio, para desestabilizar e enfraquecer a Síria", afirmou ele.

As declarações foram divulgadas neste domingo pela televisão síria. Assad falou durante uma reunião com Saeed Jalili, autoridade iraniana em vista à Síria. O presidente disse que seu país é capaz de enfrentar seus desafios atuais e pode "confrontar qualquer agressão" que possa atingir o povo sírio. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
SíriaIsraelAssad

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.