SANA/Reuters
SANA/Reuters

Assad desafia EUA e França a provarem que Síria usou armas químicas

Presidente falou ao jornal 'Le Figaro'; Espionagem francesa confirma uso do armamento pelo regime sírio

AE, Agência Estado

02 Setembro 2013 | 15h25

PARIS - O presidente da Síria, Bashar Assad, desafiou os EUA e a França a apresentarem provas que sustentem a acusação de que o governo sírio usou armas químicas contra população civil. Em entrevista ao jornal francês Le Figaro, divulgada nesta segunda-feira, 2, Assad afirma que os líderes dos dois países "foram incapazes de fazê-lo, inclusive perante seus próprios povos".

Os serviços franceses de espionagem afirmaram nesta segunda-feira que seus analistas concluíram que o governo sírio "fez uso em massa de agentes químicos" no ataque de 21 de agosto em um subúrbio de Damasco e pode realizar ataques similares no futuro.

Em uma sinopse de nove páginas divulgada hoje, a espionagem francesa diz que pelo menos 281 mortes podem ser atribuídas ao ataque de 21 de agosto. A contagem baseia-se em dezenas de filmagens feitas depois do ataque em Ghouta. Na semana passada, o governo dos Estados Unidos afirmou que mais de 1.400 pessoas morreram no massacre.

Mais cedo, o primeiro-ministro da França, Jean-Marc Ayrault, recebeu deputados, os ministros da Defesa e das Relações Exteriores e oficiais dos serviços de espionagem e de segurança para discutir a situação na Síria./ AP

Mais conteúdo sobre:
Síriaarmas químicasFrança

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.