Assad evita falar com chefe da ONU

Porta-voz diz que Ban Ki-moon tem tentado telefonar ao presidente sírio, que nunca está disponível

Associated Press

10 de junho de 2011 | 21h25

NOVA YORK - O presidente da Síria, Bashar al-Assad, tem evitado conversar com autoridades da Organização das Nações Unidas (ONU), inclusive com o secretário-geral da entidade, no últimos dias, disse nesta sexta-feira, 10, um porta-voz do órgão. O líder sírio é pressionado pela comunidade internacional por causa da repressão de seu governo contra os protestos pró-democracia no país.

 

Veja também:

especialInfográfico: A revolta que abalou o Oriente Médio

 

De acordo com Martin Nesirsky, porta-voz da ONU, o secretário-geral, Ban Ki Moon, tentou várias vezes falar com Assad, que não atendeu o telefone. "O secretário tentou falar com Assad. Ele ligou na quinta, mas Assad não pode atender. Ele tentou mais de uma vez, mas o presidente não estava disponível", completou.

 

Nesta sexta, Ban emitiu uma nota destacando suas "profundas preocupações" sobre a crescente violência na Síria e sobre o número de mortos entre os civis devido à repressão das forças de segurança contra os protestos dos opositores ao governo. No comunicado, o chefe da ONU pediu que o governo respeite os direitos do povo sírio.

 

Os protestos contra o governo começaram em março na Síria. Mais de 1.100 civis, incluindo dezenas de crianças, foram mortos na repressão, segundo ativistas pelos direitos humanos. Assad está sob pressão e pode sofrer sanções do Conselho de Segurança da ONU se não frear a violência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.