Assad insiste em continuar no poder na Síria, diz Rússia

O presidente da Síria, Bashar Assad, está insistindo em continuar no poder e nada pode ser feito para persuadi-lo a renunciar, disse neste sábado o ministro do Exterior da Rússia, Sergei Lavrov. "Sobre Bashar Assad, ele repetiu tanto em particular como publicamente (...) que não planeja sair e que continuará em seu posto", afirmou Lavrov ao lado do enviado de paz para a Síria da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Liga Árabe, Lakhdar Brahimi, com quem se reuniu mais cedo para tentar encontrar uma saída para o conflito sírio. "Não há possibilidade de mudar essa posição."

AE, Agência Estado

29 de dezembro de 2012 | 11h42

Já Brahimi alertou que o aprofundamento das condições na Síria pode enviar um fluxo de refugiados além do suportável aos países vizinhos. Segundo ele, "se tivermos pânico em Damasco e um milhão de pessoas deixarem a cidade, elas podem ir para apenas dois lugares, Líbano ou Jordânia. Nenhum dos dois países pode conseguir abrigar 500 mil refugiados sem ter problemas".

O enviado de paz acrescentou que "se a única alternativa é o inferno real ou um processo político, então todos precisamos trabalhar incessantemente por um processo político". Lavrov e Brahimi não deram indicações de um progresso significativo para resolver o conflito, que já dura 21 meses e no qual estima-se que 40 mil pessoas morreram. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.