Assad 'não cumpriu sua palavra', queixa-se Ban Ki-moon

ONU critica presidente sírio por manter repressão que já matou 2.200 pessoas no país

Agência Estado

22 de agosto de 2011 | 17h35

NOVA YORK - O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, criticou nesta segunda-feira, 22, o presidente da Síria, Bashar Assad, por este não ter cumprido a promessa de interromper uma repressão a opositores na qual cerca de 2 mil pessoas morreram, segundo ativistas contrários a seu governo.

 

Veja também:

especialInfográfico: A revolta que abalou o Oriente Médio

 

 

Ban lembrou que, durante conversa por telefone na quarta-feira da semana passada, Assad prometeu a ele que todas as operações das forças de segurança seriam suspensas.

 

 

"É perturbador o fato de ele não ter mantido sua palavra", disse Ban a jornalistas nesta segunda-feira. Segundo o secretário-geral, diversos líderes mundiais conclamaram Assad a parar com a violência. "Eu sinceramente espero que ele atenda aos apelos da comunidade internacional", concluiu Ban.

 

Também nesta segunda, a ONU revisou o balanço de mortos desde o início da revolta na Síria, elevando o total para 2.200, sendo 350 só em agosto, segundo informações da Alta Comissária para os Direitos Humanos da ONU, Navi Pillay. "As violações dos direitos humanos continuam na Síria", disse.

 

Assad está sob pressão da comunidade internacional para encerrar a repressão contra os manifestantes que pedem o fim do seu regime. Na última semana, os Estados Unidos pediram explicitamente que ele deixasse o poder e reforçaram sanções contra figuras do governo de Damasco. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.