Assad: Síria apóia palestinos e Hamas não deve ser punido

O presidente da Síria, Bashar al-Assad, disse nesta quinta-feira que seu país apóia totalmente o povo palestino e acrescentou que a vitória do movimento islâmico Hamas em eleições democráticas deve ser respeitada e não punida. As declarações de Assad foram feitas após a reunião com o ministro de Exteriores palestino, Mahmoud Zahar, que chegou a Damasco como parte de uma viagem regional com o objetivo de arrecadar recursos dos países árabes. "Assad confirmou o apoio sírio à luta do povo palestino e pediu respeito, e não punição, por sua escolha democrática", assegurou um comunicado presidencial. A nota acrescenta que Zahar descreveu a Assad "os últimos eventos em territórios palestinos e a difícil situação pela qual passam os palestinos devido à implacável agressão israelense". Antes da reunião com Assad, Zahar se encontrou com o ministro de Assuntos Exteriores sírio, Walid al Moalem, que ratificou o apoio da Síria ao Hamas. "Continuaremos apoiando o Hamas, agora mais que nunca, e em nosso apoio não temeremos ninguém", ressaltou Moalem em entrevista coletiva junto a Zahar. Zahar disse que ele e Moalem decidiram elevar a categoria da representação diplomática palestina na Síria, e ressaltou a importância que tem o apoio político da comunidade árabe ao governo palestino. "O respaldo político (dos países árabes) será útil para acabar com as dúvidas que sustentam que o Hamas não representa a união nacional palestina", acrescentou Zahar. Além disso, Zahar destacou o significado das relações com o Egito e a Jordânia, apesar das autoridades jordanianas terem cancelado a visita que faria na quarta-feira a Amã, e de não ter sido recebido por funcionários de alto nível no Cairo. Em relação aos palestinos que viviam no Iraque e que estão há meses na fronteira jordaniano-iraquiano, o ministro palestino disse que "as autoridades sírias garantiram que essas pessoas serão transferidas em breve à Síria para que vivam junto a seus compatriotas que residem no país". Além disso, o governo de Damasco abriu duas contas bancárias para receber doações para o governo palestino. A Síria está na lista dos Estados Unidos dos países patrocinadores do terrorismo por acolher em seu território escritórios de grupos radicais palestinos, incluindo o Hamas, considerado um grupo terrorista pelos Estados Unidos e pela União Européia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.