Assad teria transferido armas químicas para fronteira

O governo sírio transferiu suas armas químicas para aeroportos nas fronteiras, informou o grupo opositor Exército Livre Sírio (ELS) nesta terça-feira, um dia depois de o regime advertir que poderia usá-las caso seja atacado por uma força estrangeira.

AE, Agência Estado

24 de julho de 2012 | 15h35

"Nós, do comando conjunto do Exército Livre Sírio no interior do país, sabemos muito bem as localizações e posições dessas armas", diz um comunicado do grupo. "Nós também revelamos que (o presidente Bashar) Assad transferiu algumas dessas armas e equipamentos para a mistura de componentes químicos para aeroportos na fronteira."

O documento diz que as armas foram transferidas com o objetivo de pressionar a comunidade internacional, boa parte da qual pede a Assad que deixe o poder. "De acordo com informações que obtivemos, o regime começou a transferir seus estoques de armas de destruição em massa vários meses atrás...com o objetivo de pressionar a região e a comunidade internacional", diz o ELS.

Mas o grupo disse que é impossível acreditar que o regime vá usar essas armas contra o vizinho Israel, que já expressou publicamente suas preocupações sobre o destino dos enormes estoques de armas químicas da Síria.

"O regime que não disparou um projétil sequer contra Israel no curso de três décadas certamente não vai usar armas químicas contra o país", afirma o comunicado.

O regime sírio fez referência a seu estoque de armas químicas pela primeira vez na segunda-feira, quando o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores, Jihad Makdissi, disse que elas poderiam ser usadas caso haja um ataque externo.

"A Síria não vai usar qualquer arma química ou outras armas não convencionais contra seus civis e vai usá-las apenas em caso de agressão externa", disse Makdissi aos jornalistas.

Israel

Amos Gilad, funcionário de alto escalão do Ministério da Defesa, afirmou nesta terça-feira que o regime Sírio controla totalmente o estoque de armas químicas do país, repudiando as afirmações de que algumas dessas armas para aeroportos nas fronteiras do país.

"Neste momento, o regime sírio está lutando por sua existência, mas todas as suas armas químicas e armas de destruição em massa estão sob total controle doe regime", afirmou Gilad em entrevista à rádio pública.

"O temor é de que se o regime está abalado, seu controle (sobre essas armas) também esteja abalado", disse ele. Gilad disse que os relatos dos rebeldes sírios sobre a transferência desse tipo de armas "não tem significado". As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.