AFP PHOTO / Syrian Presidency Facebook page / HO
AFP PHOTO / Syrian Presidency Facebook page / HO

Assad visita tropas sírias em enclave rebelde alvo de massacres

Soldados do regime sírio já tomaram 80% de Ghouta Oriental e rebeldes discutem cessar-fogo para remover feridos; Turquia assume o controle total da cidade de Afrin, reduto curdo no noroeste da Síria

O Estado de S.Paulo

18 Março 2018 | 20h19

DAMASCO - O ditador sírio Bashar Assad visitou neste domingo, 18, Ghouta Oriental, cidade bombardeada por suas tropas nas últimas semanas, em ataques que segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), ONG com sede em Londres, mataram 1,1 mil civis em menos de um mês.

Em Ghouta Oriental, vítimas denunciam uso de gás napalm na Síria

Segundo o regime sírio, 80% do território já está em poder das tropas do governo. Assad visitou os batalhões na região sul da cidade e disse estar “muito orgulhoso” dos militares. “Esta não é a batalha por Damasco, nem por Ghouta nem pela Síria, mas por todo o mundo. Cada bala que dispararam contra um terrorista mudou o equilíbrio (de poder) do mundo”, disse Assad, segundo a agência estatal Sana.

A Sana também mostrou Assad em cima de um tanque e apertando mão de vários soldados. O presidente sírio encontrou algumas famílias que foram retiradas da região nos últimos dias. Segundo o observatório, 50 mil civis saíram em três dias das localidades do sudoeste de Ghouta Oriental.

O principal grupo rebelde que atua em Ghouta afirmou neste domingo que negocia um cessar-fogo com uma delegação da ONU para a chegada de ajuda humanitária e a retirada de feridos com gravidade. 

Milhares de mulheres, homens e crianças foram estuprados na guerra da Síria, diz relatório da ONU

Nas últimas semanas, as tropas de Assad dividiram Ghouta em três zonas cercadas, em uma das ofensivas mais violentas da guerra civil que já dura sete anos. Os rebeldes sofreram sua maior derrota desde a batalha de Alepo, em 2016. Vários pacientes em estado grave foram retirados do lado norte da região e houve entrada de ajuda humanitária. Isso não ocorreu na região sul.

Afrin

As forças turcas e seus aliados sírios assumiram o controle total da cidade de Afrin, reduto curdo no noroeste da Síria e palco de uma ofensiva de Ancara há quase dois meses. 

O cerco resultou nos últimos dias em um êxodo massivo de civis. O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, havia anunciado mais cedo que o centro da cidade de Afrin tinha sido tomado. 

De acordo com a imprensa turca, os combatentes curdos quase não resistiram. Segundo o OSDH houve saques à cidade. / EFE e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.