Assange assina contratos para publicar sua autobiografia

Valores totais somam mais de US$ 1,5 milhão e serão usados para ajudar em defesa de acusações de crimes sexuais

Agência Estado,

26 de dezembro de 2010 | 10h25

O editor-chefe do site WikiLeaks, Julian Assange, disse em entrevista publicada neste domingo, 26, que assinou contratos para publicar sua autobiografia com valores totais de mais de 1 milhão de libras (US$ 1,5 milhão). Assange afirmou ao britânico Sunday Times que o dinheiro o ajudará a se defender das acusações de crimes sexuais feitas por duas mulheres na Suécia.

"Eu não quero escrever esse livro, mas tenho que fazê-lo", afirmou ele. "Eu já gastei 200 mil libras em custos legais e tenho que me defender e manter o WikiLeaks operando." O australiano disse que receberá US$ 800 mil da Alfred A. Knopf, sua editora nos Estados Unidos, e mais 325 mil libras (US$ 500 mil) da britânica Canongate. Com o dinheiro de outros mercados e a publicação em partes do material, o valor total dos contratos deve subir para 1,1 milhão de libras, segundo ele.

O WikiLeaks tem publicado desde o mês passado um lote de cerca de 250 mil documentos diplomáticos secretos dos Estados Unidos.

Assange está em liberdade desde 16 de dezembro, após pagar fiança na Grã-Bretanha e luta contra um processo de extradição na Suécia, onde é acusado de crimes sexuais. Ele tem enfrentado problemas para financiar o site. Companhias de cartão de crédito como a Visa e a MasterCard, além da companhia de pagamentos pela internet PayPal, bloquearam as doações para o WikiLeaks. Assange acusou essas empresas de serem "instrumentos da política externa dos EUA". O Bank of America, maior dos EUA, também interrompeu todas as transações para o WikiLeaks.

Washington criticou bastante o WikiLeaks por vazar os documentos do Departamento de Estado. Os EUA avaliam se podem indiciar Assange pelo vazamento. Um tribunal em Londres deve realizar uma audiência sobre o pedido de extradição de Assange feito pela Suécia em 7 de fevereiro. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
WikiLeaksAssangeautobiografia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.