Assange chega ao tribunal que decidirá nesta quinta sua extradição

Fundador do WikiLeaks é acusado de delitos sexuais na Suécia

Efe

24 de fevereiro de 2011 | 07h56

Assange ainda poderá recorrer da decisão do juiz. Foto: Stefan Wermuth/Reutesr

     

 

 

LONDRES - O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, chegou ao tribunal do sul de Londres que deve decidir nesta quinta-feira, 24, sobre sua extradição à Suécia por quatro supostos delitos de agressão sexual.

 

O juiz Howard Riddle comunicará sua decisão se considera necessária sua extradição ao país escandinavo para ser processado pelos delitos dos quais é acusado, em fatos que remontam agosto de 2010.

 

Na última audiência deste processo judicial, ocorrida há duas semanas, a defesa de Assange argumentou que uma extradição representará que o fundador do WikiLeaks será submetido a julgamento sem testemunhas, como o estabelece a lei sueca para os delitos sexuais.

 

Afirmam que se for entregue a Suécia, poderia ser processado por um delito de alta traição, em relação à difusão de dezenas de milhares de documentos oficiais americanos e, como consequência, executado.

 

Independentemente da decisão do juiz Riddle, não será o final deste caso, porque ambas as partes podem recorrer às instâncias superiores, em um primeiro termo diante da High Court de Londres.

 

Assange, cujo portal revelou milhares de informações confidenciais consideradas sensíveis dos Estados Unidos, foi detido em Londres em dezembro, depois de receber ordem de extradição da Promotoria sueca.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.