Assange discursa a simpatizantes em Londres

O jornalista australiano Julian Assange, fundador e editor-chefe do site dedicado ao vazamento de informações secretas WikiLeaks, discursou hoje na sacada da Embaixada do Equador em Londres, onde está abrigado há seis meses. Assange tinha aparência saudável, falou a simpatizantes que estava refugiado por causa das investigações realizadas nos Estados Unidos sobre suas atividades e afirmou que o WikiLeaks já possui bem mais de 1 milhão de novos documentos secretos para serem divulgados.

AE, Agência Estado

20 de dezembro de 2012 | 19h25

"Esses documentos afetam todos os países do mundo", assegurou Assange no discurso.

No decorrer dos últimos anos, o WikiLeaks já divulgou centenas de milhares de documentos sigilosos da diplomacia e do exército dos EUA, provocando constrangimentos a Washington e desencadeando uma série de ações contra o site dedicado ao vazamento de informações.

"Enquanto essa investigação imoral continuar e enquanto o governo australiano não defender o jornalismo e as publicações do WikiLeaks, deverei permanecer aqui", declarou.

Assange refugiou-se na embaixada equatoriana há seis meses para escapar da execução de uma ordem de extradição para a Suécia, onde responde a acusações de abuso sexual. Autoridades britânicas recusam-se a dar um salvo-conduto a Assange e prometem prendê-lo e deportá-lo caso saia da embaixada. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.