Assange pede a tribunal que suspenda extradição

O judiciário da Grã-Bretanha informou nesta terça-feira que os advogados do australiano Julian Assange, fundador do website WikiLeaks, entraram com um pedido para que a Suprema Corte britânica analise o pedido de extradição do ativista à Suécia.

AE, Agência Estado

15 de novembro de 2011 | 17h11

Em 2 de novembro, dois juízes rejeitaram os argumentos dos advogados de Assange, de 40 anos, de que ele não deveria ser extraditado à Suécia, onde enfrenta acusações de estupro e abuso sexual.

Assange agora pedirá à Suprema Corte para suspender a extradição, em uma audiência marcada para o dia 5 de dezembro. Os advogados de Assange argumentarão que o caso do fundador do WikiLeaks é de importância pública geral e precisa ser considerado pela Suprema Corte.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.