Assange teme ser preso em Guantánamo

Os advogados de Julian Assange, fundador do site WikiLeaks, disseram que seu cliente corre "sério risco" de ser condenado à morte ou de se tornar um prisioneiro em Guantánamo caso seja extraditado para a Suécia, onde é acusado de delitos sexuais. A Justiça britânica decide o pedido de extradição do criador do site entre os dias 7 e 8 de fevereiro.

, O Estado de S.Paulo

12 de janeiro de 2011 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.